Consultora do Sono: Você pode ajudar o seu filho a dormir melhor. Saiba como!

É uma tendência quase natural: desde os primeiros dias de vida a preocupação dos pais é em manter o bebê bem alimentado, para que ganhe peso, e limpinho. Pronto. Maravilha. É assim mesmo que deve ser.

O que ocorre é que o tempo vai passando, o bebê vai crescendo e, muitas vezes, o sono e a rotina acabam ficando de fora desses primeiros cuidados básicos.

Falaremos hoje do primeiro deles. Sono. Já reparou que a grande maioria dos bebês e crianças dorme quando, como e por quanto tempo bem entender?  É como se não precisassem aprender. Como se o sono fosse um hábito natural igual a fazer xixi ou chorar.

Mas não, não é. É cada vez mais comum a relação de doenças do sono (como terror noturno, insônia, sonambulismo, etc) em crianças e adolescentes. E tudo começa desde muito cedo: bebês e crianças que adormecem com maus hábitos e dormem pouco, ou muito. Sem nenhum ritmo ou ordem.

Essa é a porta de entrada para uma série de problemas que ficam cada vez mais difíceis de sanar. Mães aflitas e cansadas, pais sem saber como ajudar, bebês que só adormecem desta ou daquela maneira, irritabilidade, família instável, tudo fora do controle.

Foi pensando em ajudar pais e mães na educação do sono de seus filhos que nós entrevistamos a consultora de sono, Aline Galhardo, da Soninho no Ninho.  Ela explica uma série de questões importantes relacionadas ao fundamento da educação do sono. E, no final, deixamos o contato dela, caso você esteja precisando de ajuda para auxiliar seus filhos na hora de dormir.

1- Todo bebê aprende a dormir sozinho, com o tempo?

R: Cada bebê é único e alguns, podem, sim, aprender a dormir sozinhos. Ocorre que isto é uma exceção e, na maioria das vezes, o bebê precisa ser conduzido a isso. Nosso dever enquanto pais é estabelecer os limites desde a primeira infância e o berço é o primeiro limite que os bebês conhecem.

2- Por que é necessário conhecer o processo do sono dos bebês e crianças?

R: Os bebês, muito mais que os adultos, precisam ter suas necessidades de sono atendidas. Não é luxo nem opção, é uma NECESSIDADE. Cada faixa etária tem sua necessidade de sono e  alimentação e esta pode mudar conforme o tempo, especialmente no primeiro ano de vida. Entender esse processo, respeitar as janelas de sono e colocar o bebê pra dormir no horário cedo é de extrema importância, pois isto evita muito estresse causado pela excesso de sono.

3- Como saber que meu filho tem uma condição especial nesse sentido e como ajudá-lo?

R: Observe os sinais que seu filho dá. Ele acorda chorando em todas as sonecas ou mesmo após a introdução alimentar estabelecida permanece solicitando o peito, mamadeira ou chupeta para dormir? Se a resposta for sim e se a privação de sono está prejudicando os pais e o próprio bebê, este é o momento de fazer algumas mudanças. Ajude-o a prolongar o sono, estabeleça uma rotina de sono e alimentação adequada à idade e observe uma mudança radical no comportamento dele.

4- Você considera dormir tão importante quanto qualquer outra necessidade básica? Por quê?

R: Com certeza! Nós passaremos pelo menos 1/3 e nossas vidas dormindo (ou pelo menos deveríamos). Na primeira infância, o sono tem papel central na rotina, bem como higiene e alimentação. Se estas três necessidades estão sendo atendidas, seu bebê terá muito mais benefícios. Além disso, é durante o sono que os bebês usufruem dos benefícios do hormônio do sono, a melatonina. O crescimento adequado e saudável do bebê depende de como e quanto ele está dormindo além de outras necessidades básicas, claro.

5- Qual o pior erro que pais e mães cometem nesse aspecto?

R: É importante  ressaltar que um bebê não dorme mal porque quer. Excluindo as doenças

e condições especiais de saúde, na maioria dos casos, os pais são os principais responsáveis pela qualidade ruim do sono dos seus bebês. O pior erro dos pais é não estabelecer hábitos de sono saudáveis desde a maternidade. A tendência é fazer qualquer coisa para que o bebê durma e não observar o que ele realmente PRECISA.

6- O que despertou em você para este caminho de consultoria do sono?

R: Minha própria experiência como mãe me conduziu por este caminho. Gianna, a luz dos nossos dias, passou por maus bocados desde o início da vida. Era uma bebê relativamente calma, mas eu a condicionei a muitos maus hábitos. Houve um momento em que ela despertava, em média, nove vezes na madrugada. Eu estava exausta, ela estava exausta e meu meu marido estava pior ainda (e ainda precisava trabalhar fora no outro dia). Decidi que estava disposta a mudar esta situação, fiz cursos, li muito e minha decisão foi baseada em todas essas informações com evidências em  estudos e métodos que se aplicavam à minha realidade. Passei a acompanhar várias mães sem cobrar nada e TODAS tiveram resultados satisfatórios. Foi aí que me profissionalizei.

7- Qual foi o pior caso que você já viu até agora?

R: Não foi um caso que atendi, mas sobre o qual ouvi: bebê que dormia SOMENTE mamando, balançando, em pé (as três coisas juntas) e despertava mais de dez vezes de madrugada. Era um bebê ultrarresistente.

8- O que você diria a todos pais e mães sobre esse assunto?

R: Estudar sobre a gestação, parto e amamentação é de extrema importância, mas não negligenciem esta que pode se tornar a área mais desafiadora de suas vidas: a privação de sono. Lembrem-se: sono é necessidade, não luxo!

É possível iniciar o processo de educação do sono desde os primeiros meses de vida, levando em consideração as necessidades de cada fase do desenvolvimento do bebê.

Ah, e se você acha que seria bacana trazer a Aline para uma live em nosso Instagram para tirar dúvidas ao vivo, escreva “EU QUERO” nos comentários.

Procure ajuda se estiver precisando e conte com a Pilili em cada etapa de desenvolvimento dos seus filhos.

Aline Galhardo é consultora de sono infantil (0 a 23 meses) e tem ajudado diversas famílias em todo o Brasil. Siga-a nas redes sociais:

Facebook:
https://www.facebook.com/soninhononinho/

Instagram: https://www.instagram.com/soninhononinho/

Post anterior
A importância da vacinação
Próximo post
Mães reais: as que amam a sua vocação, podem mudar o mundo.

Posts Relacionados

No results found

1 Comentário. Deixe novo

Eu quero!

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu
WhatsApp chat

Positive SSL EV